Skip to content

Iniciativa M&M: Scion, segunda parte

20/09/2009

E continuando a adaptação de Scion, vou adaptar o primeiro panteão para o cenário. Ao contrário do que eu lembrava, o primeiro panteão descrito no livro Scion: Hero é o dos deuses egípcios e não nórdicos. Mas como os nórdicos são mais populares vou começar com eles mesmo. Como o panteão é grande, vou fazer isso em duas vezes.

Lembrando que isso é uma adaptação de material da White Wolf e que eles costumam alterar alguns aspectos das lendas nas quais se baseiam para escrever seu material. Por isso, mesmo que alguém decida mestrar Scion no seu sistema original eu aconselho a parar para ler mais sobre os deuses de quem os personagens serão Scions.

E vou incluir sempre um detalhe a mais aqui ou ali quando sentir que um deus poderia ter sido melhor representado ou está com pouco material.

Cada panteão descrito no livro traz uma lista de deuses principais com sua história, alguma descrição de papéis que já assumiram no nosso mundo, comentários sobre seus Scion e poderes relacionados.

A versão atual do Aesir, panteão dos deuses nórdicos, é o quarto mais antigo e surgiu da união do que havia restado dos antigos panteões Aesir e Vanir após o fim da guerra com os Titãs. Inicialmente os dois panteões eram rivais, mas a necessidade obrigou que eles superassem essas diferenças.

O panteão valoriza a estabilidade da comunidade como forma de se proteger dos perigos externos, o direitos do indivíduo e a honra pessoal. Lealdade, coragem e perseverança são valorizados, sendo considerado melhor morrer com bravura do que viver uma vida sem desafios. Além desses aspectos o panteão também valoriza a capacidade de criação do indivíduo, usando da arte e da beleza como forma de propagar a crença nas divindades.

As fraquezas do panteão são a fixação de seus deuses com o destino que os aguarda (a maioria dos deuses nórdicos irá morrer durante o Ragnarok), sua grande quantidade de inimigos e rotineiramente usarem de violência para solucionarem situações que poderiam ser resolvidas de forma pacífica.

Baldur

O mair bonito entre todos os deuses do panteão, o ‘bom moço’ e deus do sol. O mais amado pelos outros deuses (até Hel sente atração por ele), o campeão, ele é o herói de cabelos louros, dentes brancos e constituição física perfeita. Ele também é o deus mais ordeiro e previsível do panteão.

No nosso mundo ele assume identidades que refletem sua aparência de mocinho e pessoa amada por todos. Ele já foi um astro de cinema, bombeiro, veterinário, salva-vidas e estrela dos esportes.

Baldur é um deus com muitos Scions devido ao seu carisma e beleza naturais. Seus filhos costumam puxar a atitude de seu pai quanto ao mundo, se tornando pessoas boas que são amadas pelos outros. Entretanto suas qualidades tendem a atrair inveja e raiva e sua atitude individualista e protetora muitas vezes levam os Scions a mortes prematuras.

Scions desse deus tipicamente possuem um alto valor em Carisma e suas perícias relacionadas. Além disso, sua personalidade individualista faz com que eles desenvolvam um grande número de perícias, permitindo que sejam mais completos e independentes. Scions de Baldur costumam desenvolver poderes ligados ao seu aspecto de deus Sol (Raio, Controle de Luz, Controle de Elemento: Fogo, etc.) e sua atitude protetora (Proteção, Escudo, Campo de Força, etc.).

Freya

Uma antiga Vanir, uma poderosa feiticeira e guerreira habilidosa de cabelos vermelhos. Sua beleza é tão grande que até os servos dos Titãs desejam seu amor.

Freya assume papéis variados no nosso mundo. Ela já foi uma adivinha, uma instrutora de artes marciais e uma senhora bondosa que dá os conselhos certos enquanto oferece leite com biscoitos. Ela se dedica especialmente a carreiras que permitam proteger e apoiar outras mulheres.

Seus Scions são tão bonitos quanto os de Baldur e ela valoriza mais suas filhas do que seus filhos. Isso não significa que ela despreza seus filhos, só que a valorização de suas filhas é a forma encontrada por ela para equilibrar as coisas num panteão tão masculino.

Scions de Freya possuem muitos pontos no atributo Carisma e nas perícias relacionadas. Eles tendem a valorizar um número maior de perícias ligadas a situações sociais, a capacidade de convencer os outros e habilidades artísticas. Os poderes desenvolvidos costumam representar os aspectos de fertilidade e saúde da deusa (Cura, Regeneração, Controle de Plantas, etc.) e seu aspecto de guerreira e feiticeira (Golpe, Magia, etc.).

Freyr

Um antigo Vanir, Freyr é o principal deus da fertilidade e prosperidade entre os deus nórdicos, controlando tanto a vida vegetal quanto animal. Sua aparência divina é de um homem grande e forte de cabelos castanhos.

Seus poderes se estendem sobre o sol e a chuva, a riqueza e a capacidade de ter filhos. Seu carisma sobrenatural o torna uma pessoa que atrai a atenção facilmente, mesmo que não possua uma beleza física notável.

Quanto no nosso mundo Freyr é o tipo de pessoa capaz de atrair os outros pela forma como expressa suas idéias e sua personalidade. Riqueza e poder sempre o seguem quando assume uma nova identidade e ele possui um charme natural difícil de resistir. Entretanto, Freyr raramente é o líder no local ou o centro das atenções, preferindo um papel secundário (onde pode utilizar de forma mais livre seus ‘dotes’ como deus da fertilidade).

Scions de Freyr costumam herdar o carisma do pai, sua facilidade em fazer riqueza e sua fertilidade natural. Eles costumam ter muito dinheiro e muitos filhos, tendo dificuldade em evitar os dois. Essa facilidade muitas vezes gera uma atitude de abandono de seus deveres como Scions.

Os filhos de Freyr possuem um alto valor em Carisma, Constituição e suas perícias relacionadas. Altas graduações em Lidar com Animais, Diplomacia, Medicina e profissões e conhecimentos ligados a fertilidade e a vida também são comuns. Eles também desenvolvem poderes ligados a fertilidade e saúde (Cura, Controle de Plantas, Controle de Animais, Controle Vital, etc.) e podem controlar o clima (Controle Ambiental, Raio, Controle de Frio, etc.).

Frigg

Esposa de Odin, tão antiga e poderosa quanto ele. Sua origem é desconhecida e se acredita que ela possa ter sido uma Vanir ou uma Titã que se aliou aos deuses.

Uma grande feiticeira e adivinha, ela raramente erra em suas previsões. No nosso mundo ela já foi uma cigana leitura da sorte, analista financeira, modelo de trajes de banho, esposa de um militar e ativista dos direitos das mulheres. Em todas suas formas sua capacidade em realizar previsões detalhadas sobre o futuro dos outros costuma causar estranheza.

A maioria de seus Scions são mulheres. Os homens entre eles tendem a parecer com Baldur, que também é seu filho e preferido. Para garantir a proteção dele, Frigg exige que todos os seus Scions jurem nunca fazer nada que possa ferir Baldur.

Os Scions de Frigg possuem grande pontuação em Carisma e Inteligência, como sua mãe. Eles desenvolvem um grande número de Conhecimentos e muitas graduações em Notar e Prestigidação. Muitos se tornam feiticeiros habilidosos (Magia) e desenvolvem habilidades ligadas a capacidade a capacidade de prever o futuro e a sua percepção sobrenatural herdada da mãe (Controle de Sorte, Controle Temporal, PES, Super-sentidos, etc.). Muitos também demonstram habilidade em controlar aspectos relacionados aos céus, como relâmpagos (Raio, Controle Elétrico, etc.) e se deslocar no ar (Saltar, Vôo, etc.).

Heimdall

O guardião de Bifrost, a ponte do arco-íris que une o mundo dos mortais a região do mundo dos deuses onde o panteão Aesir vive (Asgard).

Heimdall é o protetor do lar dos deuses, a primeira linha de defesa contra ataques. Sua aparência é de um guerreiro de cabelos escuros, com aparência feroz e olhar amedrontador. Suas habilidades de prever o perigo e perceber a verdade estão no mesmo patamar que Odin e Loki.

No nosso mundo ele já assumiu identidades de um foto-jornalista em épocas de guerra, um especialista em segurança, um mercenário, um rebelde e um espião.

Heimdall cuida de seus Scions e se preocupa em garantir que eles estejam sempre nos locais certos para suas habilidades. Ele enxerga seus filhos como agentes cuja obrigação é ajudar Heimdall a proteger Asgard. Isso formou uma grande rede de informações e um contigente de soldados preparados para agir quando Heimdall precisa. Ele toma cuidados para evitar que o nível de controle imposto sobre a vida de seus filhos seja percebida claramente por eles, usando de servos mortais e identidades alternativas para direcionar os Scions sem ser identificado.

Os Scions do deus costumam possuir valores altos em Sabedoria e Inteligência. Conhecimentos, Diplomacia, Idiomas, Intuir Intenção, Notar, Obter Informação e Procurar são perícias que eles tendem a desenvolver e dominar durante sua vida, devido a influência de seu pai. Eles desenvolvem poderes relacionados a sua proteção (Escudo Mental, Proteção, etc.), a luz e viagens (Controle de Luz, Teleporte, Velocidade, Vôo, etc.) devido ao domínio de seu pai sobre a ponte que liga o nosso mundo e Asgard.

Hel

Hel é a rainha do aspecto Aesir no mundo dos mortos. O lado direito do seu corpo é saudável e belo e o lado esquerdo é deformado e doente. Sua aparência real é tão aterradora que mortais que a enxerguem tem a sanidade abalada pelo resto de suas vidas.

Hel é a guardiã dos mortos, raramenta abandonado suas tarefas para viajar pelo nosso mundo. Tanto na sua forma real quanto nas identidades que assume, ela sempre mantém uma atitude de superioridade e não demonstra sentimentos. No nosso mundo ela já foi uma modelo, cantora, uma advogada e psicóloga de criminosos condenados. Ela nunca assume uma identidade onde ela tenha que agir como subordinada a alguém.

Hel possui poucos Scions. Sua atitude afasta a maioria dos homens e os que se aproximam raramente estarão presentes depois do nascimento dos filhos.

Scions de Hell podem tanto herdar o lado belo quanto o lado horrendo da mãe. Eles podem possuir uma alta pontuação de Carisma (o que os permite mentir e manipular os outros mais facilmente) e feitos e poderes que os ajudem a assustar os outros são comuns. Blefar, Intimidar, Intuir Intenção e Obter Informação costumam ter muitas graduações. Scions de Hell desenvolvem poderes que permitem controlar a morte (Controle Vital, Drenar Característica, Desintegração, Invocar Capanga: mortos-vivos, etc.), a escuridão e o frio característicos dos domínios de sua mãe (Controlar Escuridão, Controlar Frio, etc.).

Loki

O deus do fogo e da falsidade, o traidor e mentiroso. Loki não pode ser definido como bom ou mal, mas como um ser criador do caos. Ele pode atacar e prejudicar alguém hoje para proteger e ajudar essa mesma pessoa amanhã. Filho de gigantes (que por sua vez são filhos dos Titãs) e irmão-de-sangue de Odin, seus filhos são o lobo Fenris e a serpente Midgard (que terão papel importante na morte dos outros deuses durante o Ragnarok).

No nosso mundo Loki já foi um policial infiltrado e um guerrilheiro. Ele nunca é o líder, preferindo o papel de conselheiro. Seu aspecto caótico continua a aparecer mesmo nessas identidades, manipulando os diversos lados de uma situação para promover o conflito e o caos.

A profecia que Loki irá trair os outros deuses durante o Ragnarok faz com que ele raramente possa se mover pelo nosso mundo sem um outro membro do Aesir ao seu lado tentando restringir sua liberdade. Isso diminui suas possilidades de ter filhos. Além disso, vários Scions de Loki já se uniram aos Titãs, fazendo com que mesmo os que se mantém leais aos deuses nórdicos sejam vistos com suspeitas.

Scions de Loki costumam herdar a personalidade manipuladora de seu pai e por isso possuem muitos pontos em Inteligência, Sabedoria e Carisma. Eles possuem conhecimento sobre ocultismo e magia, assim como muitas graduações em Blefar, Diplomacia, Disfarce, Furtividade e Intuir Intenção. Eles desenvolvem a habilidade de manipular probabilidades (Controle de Sorte), e os poderes sobre o fogo (Controle de Elemento: Fogo, Raio, etc.) e de passarem despercebidos (Camuflagem, Invisibilidade, Metamorfose, Morfar, etc.).

Aqui eu encerro metade dos deuses nórdicos. Fica pra próxima os deuses restantes: Odin, Sif, Thor, Tyr e Vidar.

2 Comentários leave one →
  1. Arquimago permalink
    23/09/2009 5:51 pm

    Chique!

Trackbacks

  1. Fim da primeira rodada da Iniciativa M&M « Pergaminhos Dourados

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: