Skip to content

Iniciativa M&M: Scion, deuses do Vodu (parte 1)

20/10/2009

E continuando e já chegando no final dos deuses do Scion Hero (ficam faltando os do Companion), o panteão dos deuses do Vodu.

O panteão se auto-intitula Loa, sendo uma soma de crenças e divindades de épocas diferentes. Inicialmente a religião nasceu na África, tendo sido trazida para outros continentes através do comércio de escravos. Isso gerou uma mistura dos povos de diversas tribos que possuíam deuses diferentes. Isso, somado a adoção e adaptação das crenças aos locais aonde os seguidores passaram a viver, somado ao fato que a maioria dos deuses que hoje formam o Loa terem sido Scions de deuses mais antigos e hoje abandonados, geraram um panteão formado por divindades com grandes diferenças entre si.

As crenças do Loa envolvem uma atitude mais imediatista e num foco menor. Uma cidade feliz e próspera é mais importante e digna de proteção que uma nação inteira corrupta e perdida. Um indivíduo que provoca uma mudança positiva no mundo à sua volta é mais importante que cem pessoas que escolheram não gerar nada. Isso está relacionado com a história dos deuses do panteão. Tendo vivido durante muito tempo como humanos normais, eles relutam em demonstrar a mesma lógica prática e fria que alguns outros panteões demonstram quando lidando com mortais. Os deuses racionalizam que não existe motivo para lutar pela salvação do mundo, se no processo eles só causarem mais dor e destruição aos mortais, a quem o mundo verdadeiramente pertence.

A grande falha do panteão é o excesso de apego aos mortais. Mesmo sendo uma atitude nobre valorizar a vida do indivíduo, seu excesso de dedicação e cuidado muitas vezes leva a inatividade e a incapacidade de agir quando necessário.

Baron Samedi

O deus dos mortos do panteão. Vestindo um casaco surrado, óculos escuros e uma cartola, ele não muda muito sua aparência mesmo quando andando no nosso mundo. Costuma parecer estar num estado que indica embriaguez ou uso de drogas, num torpor e desatenção do que acontece em volta. Esse estado de desleixo desaparece num instante se necessário, seus olhos tomando uma tonalidade completamente escura, que serve de espelho para os espíritos a sua volta.

Samedi é famoso por gostar de assustar adultos e brincar com crianças. Ao contrário da maioria dos deuses dos mortos, ele não possui uma atitude negativa quanto à vida. Em vez disso, ele parece mais com uma celebridade, agindo de forma despreocupada e sendo seguido por uma legião de ‘fãs’ (na verdade, zumbis e espíritos) aonde quer que vá. Quando no nosso mundo ele se dá ao trabalho de disfarçar sua comitiva para que pareçam humanos e ele sempre estará cercado de vários deles.

Os filhos herdam o mesmo Carisma elevado do pai, gerando a mesma atração estranha para os mortos. Espíritos tentam se comunicar, locais assombrados podem se acalmar ou entrar em atividade quando ele se aproxima e ocasionalmente coisas completamente sem explicação acontecem, como encontrar pela manhã do lado de sua cama um objeto com o qual um parente próximo foi enterrado. Muitos deles se tornam médiuns ou estudiosos do sobrenatural (Blefar, Conhecimentos: Arcano, Intuir Intenção, Performance, etc.). Alguns se esforçam para escapar dessa ligação com o sobrenatural, passando anos em consultórios ou estudando explicações lógicas para os acontecimentos (Conhecimentos: Ciências Comportamentais, Ciências Físicas, etc.), até receberem a visita de seu pai ou um dos servos deles, quando tudo finalmente é explicado. Poderes sobrenaturais comuns envolvem a comunicação com mortos (Controle Mental, PES, Super-Sentidos, Telepatia, etc.), invocação de espíritos e zumbis (Invocar Capanga), e o controle sobre a escuridão (Controle de Escuridão, Obscurecer, etc.) e a morte (Controle Vital, Drenar Característica, Sufocar, etc.).

Dambala

O mais importante e antigo dos deuses Loa, ele também é o que possui o maior número de Scions. Sua forma preferida é de uma grande serpente verde e negra e é associado a criatividade, fertilidade, paternidade a figura de Moisés.

No nosso mundo Dambala possui muitas mulheres e as visita todas as quintas-feiras. Ele deixa dinheiro e brinquedos para trás e apesar de não ser um pai presente, se preocupa muito com os filhos. Quando assume uma forma humana, costuma usar roupas completamente brancas e assumir identidades que o permitam ser sedutor.

Seus filhos herdam a sensualidade do pai (Carisma alto). Eles são habilidosos em convencer os outros de suas opiniões e conquistar simpatia (Diplomacia, Intuir Intenção, etc.). Muitos se envolvem em atividades que permitem que se expressem de forma mais livre, por isso são comuns as carreiras artísticas (Ofícios, Performance, etc.). Eles desenvolvem poderes relacionados a saúde e fertilidade (Controle Vital, Cura, Regeneração, etc.) e as serpentes (Controle de Animais, Imitação de Animais, Metamorfose, etc.).

Erzulie

A deusa do amor e da paixão em todas as suas formas. Lida e vestida em tons de rosa e vermelho, ela sua forma verdadeira é formada por três identidades diferentes. Como Freda ela é uma garota que gosta de flertar e provocar os outros. Como Danto ela é uma mulher adulta protetora das crianças e dos homossexuais. Como Je Wouj ela é uma senhora de idade que só atrai antipatia. Ela é associada com a Virgem Maria, o que acaba gerando um paradoxo interessante com sua atitude sexy e provocante.

No nosso mundo ela já foi uma prostitua, mãe, ativista comunitária e costureira de vestidos. Ela sempre usa suas três alianças (referentes a seu relacionamento com Dambala, Ogoun e Agwe).

Seus filhos herdam a beleza física da mãe (Carisma elevado e várias graduações em Atraente). Habilidades físicas apuradas são comuns (Acrobacia, Escalar, Nadar, Sobrevivência, etc.), assim como a facilidade em conquistar outras pessoas (Blefar, Diplomacia, etc.). Eles desenvolvem habilidades ligadas com a perfeição física e proteção (Crescimento, Densidade, Fortalecer Característica, Habilidade Aumentada, Proteção, Regeneração, etc.).

Esse panteão é pequeno, faltam agora só quatro deuses. Ainda essa semana coloco os que faltam e assim fecho os deuses do livro básico.

Agora é só questão de ler o Mecha & Manga (que já chegou) e terminar essas conversões para preparar a campanha de Scion em M&M.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Arquimago permalink
    23/10/2009 5:51 pm

    Não estou comentando mas estou arquivando e acompanhando seu trabalho, é muito bom!
    E muito obrigado por faze-lo!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: