Skip to content

Fichas de Dark Sun e ‘Como o Insider mudou meu jeito de jogar’

01/06/2010

E vi no RPG Planet hoje a notícia sobre as fichas da nova fase de D&D Encounters. Pra quem não sabe eles vão ser no Dark Sun 4e, sendo que essas fichas já trazem parte do novo material do cenário.

Já tem bastante gente reclamando desses personagens. Não é nem o tradicional ‘esse não o rpg que eu amo’, ‘mataram meu cenário favorito’, ‘tem tabuleiro então não é rpg de verdade’, etc. e etc. São jogadores criticando falhas nas fichas, como erros no cálculo de perícias ou poderes que estão usando formatações antigas. Isso sem contar nos erros da arte, onde a descrição do personagem diz uma coisa e a imagem dele na ficha mostra outra (como o tiefling com dois chifres no desenho e um na descrição).

Ainda sobre D&D, chegou a época de renovar meu Insider. Na época que eu assinei, disse que iria reavaliar o serviço depois que tivesse experimentando mais um pouco. Um ano depois, está na hora dessa avaliação.

Contextualizando pra quem não sabe, o D&D Insider é um serviço que a Wizards disponibiliza por meio de assinatura. Os assinantes tem acesso a Dragon e Dungeon Magazine (as duas revistas oficiais de D&D, uma voltada para os jogadores e a outra para os mestres) e ferramentas de apoio na campanha, sendo as principais o Compendium (que permite o acesso a maioria das regras do sistema facilmente), o Character Builder (programa para criação de fichas, que traz quase todo o material já criado para jogadores e faz a maioria dos cálculos necessários para criar/modificar/atualizar uma ficha) e o Monster Builder (similar ao CB, mas para monstros).

Depois desse tempo, posso dizer com toda certeza que o Insider mudou meu jeito de jogar e mestrar. Como já comentei algumas vezes, é incrível como esse serviço me poupa tempo. Preciso de um monstro para uma sessão? Vou no Compendium ou no Monster, coloco o nível e tipo de monstro e ele me passa uma lista. Copio, colo no Word e pronto. Item mágico, armadilha, o que for, é de fácil acesso. E eu posso usar o tempo economizado para me preocupar mais com a história.

Em paralelo, estou tentando manter uma campanha de Requiem for Rome (Vampiro: O Requiem). Sempre que trabalho naquela campanha percebo o quanto faz falta não ter todo esse apoio em ferramentas e material. Como seria bom ter um programa para criar adversários rapidamente, mesmo que fosse algo simples. Evito me demorar muito na mecânica das sessões e o sistema não é algo pesado em termos de regras, mas mesmo assim faz falta. É como se depois de anos usando computadores, eu tivesse que voltar a máquina de escrever. É antiquado e passa a sensação que eu poderia estar gastando mais tempo com o desenvolvimento da campanha do que arrumando as paradas de dados das habilidades principais de um NPC ou escrevendo um resumo do funcionamento das disciplinas de alguém.

Sem contar o grande benefício que a Wizards raramente faz propaganda. O Insider dá acesso a maior parte do material mecânico publicado (novos builds, feats, poderes, etc.). Então se você tem o Insider, não precisa comprar os livros falando dessas coisas porque ele já te dá acesso a tudo isso. Desde que assinei o Insider a única coisa de D&D que comprei foi o DMG2 e o PH2 (sendo que já tinha os três básicos). O DMG2 porque o livro é um dos melhores livros já publicados para D&D (em qualquer edição) e as partes que ele fala sobre criação de histórias, desenvolvimento de campanhas e etc. são alguns dos melhores textos que eu já li, direcionados para Mestres, em qualquer RPG. É uma pena que a Devir não vá publicar o livro. Já o PH2 foi para consulta em mesa, já que raramente temos um laptop conosco durante o jogo (pelo mesmo motivo pretendo comprar o PH3 quando começar minha campanha de Dark Sun). O resto, a série Powers, os livros de itens mágicos e todos os outros, são desnecessários na sua maior parte. Tirando uma ou outra explicação que só exista no livro original, é possível jogar só com o Insider, os três livros básicos e ainda assim ter acesso a maior parte do material mecânico desenvolvido para a edição.

Os problemas que eu percebo no Insider atualmente são:
a) A proposta inicial envolvia um número maior de ferramentas, como um programa para visualizar o personagem, com imagem em 3D (quem tem os básicos em inglês deve ter essa imagem no final de um deles). Elas até agora são ‘vaporware’. Pelo menos o preço pretendido pela empresa para o serviço foi diminuído até que eles consigam implementar todas essas ferramentas, então ninguém pagou por algo que não recebeu;
b) Como seria de se esperar, os programas disponibilizados tem alguns bugs. Normalmente é coisa pequena, mas alguns meses é feito um segundo update (o padrão é um por mês) porque algum bug maior passou pelos responsáveis e começou a criar problemas maiores para os usuários (como o CB ou o MB travarem durante o uso ou falhas grandes no cálculo de valores da ficha). Esses updates secundários são lançados logo que o problema é detectado e o limite de atualizações (falo disso mais abaixo) é resetado, então não é um problema grande ou comum;
c) Nem todos os navegadores interagem bem com as ferramentas online. Como eu costumo usar três navegadores diferentes dependendo do que eu quero fazer, isso não é problemático pra mim. Quem costuma usar um só, pode ter que aprender a usar outros.
d) Só em inglês.

O preço atual da assinatura de um ano está em torno dos $70 dólares. Como a maioria das pessoas, meu grupo divide o serviço. O Insider permite cinco atualizações por mês de cada programa instalado no computador (CB e MB) e acesso ilimitado as ferramentas online, então cinco pessoas podem dividir isso sem problemas. Como não existe limite para número de fichas de personagens ou monstros criados/alterados (obviamente), mesmo quem não tem o serviço costuma usar dele (e quanta ficha que a gente aprontou na casa do Jorge e do Jonas).

Sei que enquanto continuar jogando/mestrando 4e é bem provável que continue a assinar o serviço. E continuo torcendo para que mais editoras criem serviços similares, porque isso é algo que traz um retorno bom tanto para os jogadores (que tem um grande acesso a material e ferramentas) quanto para as empresas (os cálculos mais tímidos estão colocando o lucro atual do insider em torno de $200 a $300 mil dólares/mês, os mais realistas em torno de $500 mil a 1 milhão/mês*).

5 Comentários leave one →
  1. Jorge permalink
    01/06/2010 4:56 pm

    Ei césar não esquece quarta-feira jogode Dragon Ages aqui em casa e já aproveito encotro e pago muinha parte do Insider.

    • cesar/kimble permalink*
      01/06/2010 5:20 pm

      Te preocupa não, que vou jogar. E sexta tem que ver com o pessoal pra jogar DL.

  2. 02/06/2010 5:31 pm

    Nossa, só não assinei o Insider porque não estou mestrando D&D, mas vontade eu tenho.

  3. 02/06/2010 9:12 pm

    “O DMG2 porque o livro é um dos melhores livros já publicados para D&D (em qualquer edição) e as partes que ele fala sobre criação de histórias, desenvolvimento de campanhas e etc. são alguns dos melhores textos que eu já li, direcionados para Mestres, em qualquer RPG. É uma pena que a Devir não vá publicar o livro.”

    Puxa vida, fiquei triste agora, que nem quando soube na época que a Devir não traria Eberron pra 3.X. Mas qual o motivo dessa decisão?

    • cesar/kimble permalink*
      02/06/2010 10:08 pm

      DMGs aparentemente não vendem bem😦 É uma pena, porque o DMG 2 é ótimo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: