Skip to content

Usando resultados prontos no pbf

06/09/2010

Como comentei semana passada, comecei um pbf usando o cenário de Batman do Futuro como base. Ela se passa em Metrópolis, que atualmente está sem Superman e Lex Luthor (link).

Tudo tem ocorrido bem, estamos no começo e aprendendo/adaptando as coisas aos poucos. Algo que tenho sentido vontade é utilizar um sistema de resolução de ações que permita mais controle dos jogadores. Atualmente, eu estou fazendo todos os testes pelo grupo e tenho dois problemas com esse modelo.

Primeiro, a maioria dos jogadores gosta de ter a capacidade de influenciar o sucesso nas ações dos jogadores, mesmo que essa influência seja baseada num resultado aleatório como a jogada de um dado.

Segundo, um modelo onde os jogadores pudessem resolver pelo menos parte de suas ações iria acelerar mais o jogo. O exemplo mais simples seriam os combates, onde os personagens poderiam definir coisas como iniciativas ou resultados total das jogadas de ataque antes que eu influenciasse.

O problema é como fazer isso. Poderíamos passar a usar um rolador de dados virtuais, tem dezenas desses por aí. Seria só questão de achar um bom, que permita a consulta de resultados por um link ou e-mail.

Seria fácil, mas não sei se o melhor. Queria algo que já ficasse pré-definido, algo como uma lista de resultados prontos que os jogadores pudessem usar.

Exemplo: O jogador de Asa Noturna tem os resultados, 3, 8, 14 e 16 para utilizar. Ele está lutando contra Lady Shiva. No primeiro ataque ele tenta acertar um chute na adversária. Ele gasta seu resultado 8, porque acredita que com seu modificador de ataque desarmado (+15) um 23 vai ser suficiente para acertar Shiva.

Para sua surpresa, ela desvia do ataque e contra-ataca com um soco no estômago. Shiva é uma das melhores lutadoras desarmadas do mundo e seus golpes causam +7 de dano.

Asa tem toughness +6 e a CD para resistir ao dano é 22. Ele poderia gastar seu 16 para absorver completamente o dano, mas isso deixaria ele somente com os resultados 3 e 14 para gastar. Ele prefere gastar o 14 então e se ferir um pouco (penalidade de -1 em todos os testes). É bom ele acertar o próximo ataque (onde ele vai usar 16) ou as coisas vão começar a ficar complicadas!

Poderíamos simplesmente estabelecer então uma série de resultados prontos que cada um teria. Quando acabassem esses valores, outra lista de resultados seriam rolados.

Poderíamos fazer isso com cartas, dados, o que for. Ainda estou tentando ter uma idéia de como fazer isso ainda. E pelo jeito vou terminar esse post sem uma conclusão. Sugestões?

4 Comentários leave one →
  1. 06/09/2010 6:23 pm

    Por que não usar o sistema de cartas do Manual do Malfeitor?

    No caso de transformar num modelo digital, seriam duas cartas para cada número, embaralhadas e distribuídas para os jogadores.

  2. cesar/kimble permalink*
    06/09/2010 6:54 pm

    É uma das opções que estou considerando. Cartas vermelhas tem resultado normal, cartas pretas somam +10 (então um 2 preto valeria 12). Até usaria o resto da regra, que permite gastar cartas com figuras para aumentar os bônus dos hero points.
    Mas escrevi isso aqui exatamente pra pegar mais opiniões, ver outros jeitos de fazer isso.

  3. 06/09/2010 7:16 pm

    No início da minha campanha tb pensei sobre isso e na época não achei uma slução ideal. Bom seria ter um rolador no próprio fórum, que nõ permitisse re-rolagem ou edição do tópico; e sendo assim, não haveria epaço para “trapaça”. Poderia ter um topico só pra rolagens por exemplo.

    Como eu não achei nada parecido, resolvi eu mesmo fazer as rolagens e a aventura segui dessa forma. Com isso, percebi que muita das coisas são definidas com esforço exra e com os PHs. Diferente do que acontece na mesa, onde o jogador deve anunciar o uso desses benefícios, antes de saber o resultado de sua rolaem, no PbF, eu permito tb depois do anuncio do resultado, já que os players nem sequer veem o quanto tiraram no dado.Acho justo então, permitir uma nova chance se puderem.

    Esses números pré-definidos é uma estratégia bacana, e já pense nisso também. Só tenho receio com duas coisas: os jogadores farão as ações muito mais baseados no que os números em suas mãos permitirem (se o jogador só tem um 6 e um 9 na mã~, não vai tentar saltar de um telhado para o outro atrás do vilão); e se o mestre não estiver atendo, farão testes sem sentido para se livrarem dos números fracos e renovarem os números disponíveis.

    Se for usar esse sistema, nos mantenha informado sobre o que está achando!
    🙂

    • cesar/kimble permalink*
      06/09/2010 7:22 pm

      Pode deixar😉

      Essa questão de possíveis abusos (como fazer testes para ‘gastar’ resultados ruins) é algo que o livro aponta como possibilidade.
      Pensei em lidar com isso de alguma forma que incentive aos personagens falharem. Talvez transformar isso num tipo de ‘complicação auto-aplicada’. Usando teu exemplo, o jogador poderia fazer o personagem saltar o telhado e usar um resultado ruim para falhar no teste intencionalmente e ganhar um ponto heróico.
      O problema é que não me sinto confortável com esse modelo e não sei se os jogadores gostariam. Tornaria a situação muito win-win (ou você é bem sucedido ou ganha um bônus por falhar) que não acho que seja algo interessante pro jogo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: