Skip to content

Quarta Sessão de Dark Sun

07/12/2010

A sessão começou logo depois da vitória alcançada na última aventura. Os personagens passam a noite comemorando a vitória.

Nos dias que se seguem, eles começam a planejar o que fazer. O meio-gigante do grupo conversa com o antigo chefe da casa Wavir (Thaioh) sobre o passado do mundo, um interesse do personagem. O comerciante aconselha a que eles tentem conseguir acesso aos subterrâneos de Tyr.

Como Thaioh explica, Tyr já foi destruída diversas vezes, sendo reconstruída novamente e criando um grande complexo subterrâneo formado por diversos níveis. A entrada nos subterrâneos é proibida por lei, mas o antigo líder da casa diz saber como eles podem ter acesso ao lugar.

Um amigo de Thaioh possui um depósito que possui uma entrada para a Under-Tyr. O problema é que o lugar foi tomado por alguma criatura que vem matando todos que entram no local, já fazem meses. Os personagens podem usar do estabelecimento, desde que consigam lidar com o que quer que esteja matando as pessoas.

Enquanto isso, o comerciante do grupo começa a tentar arrumar uma aliança entre a casa Wavir e sua casa (Khal). Ele conversa com seu tio e os dois tentam pensar em formas de unir as casas.

Além desses acontecimentos, o thri-kreen do grupo é contatado por um oficial de Atark Aakusk, o Khan atual de sua raça. O mensageiro se identifica como Khot-tha e avisa que o Khan enviou uma mensagem, pedindo que o personagem se alie as forças dos thri-kreens. O personagem pede tempo para pensar e Khot-tha concorda em retornar em alguns dias.

O grupo decide entrar no armazém indicado por Thaioh para conseguira acesso a Under-Tyr. Antes de invadir o local, o comerciante do grupo estabelece um acordo com a casa Wavir: se ele conseguir achar um veio de ferro lá embaixo, sua casa e a casa Wavir irão formar uma aliança. Adha, a chefe dos Wavir, aceita.

O grupo parte para o armazém, que se localiza no bairro (favela) dos elfos. É impossível enxergar dentro do lugar, devido a uma barreira sobrenatural de sombras que impedem a passagem da luz.

Ao entrar no lugar eles encontram um escritório bem cuidado e de uso recente. Ele é protegido de invasões por magias ilusórias e de proteção, além de espectros. Destruindo as criaturas, eles ganham acesso ao subsolo onde fica a entrada de Under-Tyr.

No túnel que dá acesso aos subterrâneos da cidade eles encontram uma trilha de velas acessas. Seguindo a trilha por curiosidade, eles encontram a tumba de um antepassado do comerciante do grupo. Sem entender do que se trata (nenhum antepassado do personagem foi enterrado numa tumba como aquela, até onde ele saiba), eles decidem entrar no lugar.

Apesar da tentativa em serem silenciosos os personagens acabam alertando um necromante que estava realizando um ritual dentro da cripta. Ele invoca escorpiões criados com os ossos dos esqueletos no lugar e ataca o grupo.

Após o combate e com o feiticeiro morto, os personagens vasculham o lugar. Eles descobrem que o arcano morto pertencia a família Shahram, que são nobres importantes na cidade. Como o thri-kreen devorou o necromante após a luta, eles acreditaram que não haveriam mais problemas.

Eles também descobrem um item de grande valor, os restos de um dos diários de Kalak. Ele possue diversos trechos incompletos de uma obra maior (incluído no wiki da campanha).

Os personagens saem dos subterrâneos e entregam o diário a Thaioh e Adha. Os dois levam a obra até o rei Tithian, que fica surpreso ao receber o livro. Ele promete grandes recompensas pela recuperação do diário. Entretanto, irá precisar de tempo para estudar o livro.

Os personagens então decidem seguir com a idéia de procurar um veio de ferro em Under-Tyr. Se informando com alguns mineradores, eles descobrem que se tivesse um verme da ferrugem seria muito mais fácil encontrar isso. Eles partem para as montanhas próximas de Tyr acompanhados pelo mercenário Bartho, um caçador Mul contratado pelos personagens (com o dinheiro da casa Wavir).

Durante a subida da montanha os personagens encontram um bosque feito de árvores de vidro. Depois de seguirem o Mul enlouquecido por meio da vegetação vítrea, enfrentar uma série de criaturas transparentes e destruir um antigo servo de Kalak, eles conseguem sair do local. Antes disso, um deles usa uma fonte mágica para investigar Giustenal e enxerga o vulto de uma criatura humanóide vivendo escondida na cidade.

Junto com Bartho (que perdeu nove dedos e ganhou uma boa quantidade de novas cicatrizes durante a travessia do bosque), eles raptam um filhote de verme da ferrugem e voltam para Tyr.

Ao chegar a cidade, eles descobrem que a família Shahram sabem que eles são responsáveis pela morte de um dos membros da família. Nasdom Shahram, líder da família e tio do morto, exige que o crime seja vingado. Os personagens se refugiam na casa de parentes de um dos personagens e resolvem partir de Tyr até que a situação se acalme.

Notas:
a) O necromante na tumba conversou rapidamente com os personagens e revelou que ali estava enterrado Dragen Khal, um antepassado do comerciante do grupo. Mais tarde, o comerciante descobriu que esse foi um antepassado seu que conseguiu se tornar um templar, desafiou o rei-feiticeiro Kalak e foi morto por sua rebelião.
b) A entrada para Under-Tyr não levava somente a tumba da família Khal. Ela leva a vários outros túneis menores, que os personagens ainda não exploraram.
c) A casa Shahram oferece um prêmio para quem conseguir capturar os personagens, vivos ou mortos. Mil peças de porcelana por cabeça.
d) O meio-elfo do grupo descobriu que o clã a que sua mãe élfica pertencia, é formado por mercenários que vivem nos arredores do Sea of Silt e da cidade de Primm (sim, eu adoro essa série de jogos). O nome do grupo é ‘Clã do Sol Poente’.
e) O nome do necromante morto pelos personagens era Rochark.

A maior parte da sessão foi criada por mim, entretanto usei também da aventura pronta Glass Spire Forest durante a passagem na floresta de vidro. Muita coisa foi criada na hora, a medida que eles iam tendo novas idéias e fui me adaptando. No final da sessão, os jogadores haviam criado uma pilha de ganchos novos sem perceber.

Tivemos quatro combates no dia. Acabou sendo mais do que eu esperava (imaginava dois ou três). Todos eles exigiram bastante do grupo e em vários momentos eles quase cairam. Pude perceber que eles sobreviveram porque trabalharam em conjunto todo o tempo.

Somente um skill challenge, a passagem pela floresta. Usei em parte o que veio na aventura pronta, mas fui improvisando alguns pontos para fluir melhor. Uma coisa que o pessoal da WotC tem que aprender é a escrever skill challenges com estruturas mais abertas e mais espaço para que os Mestres interpretem os resultados.

A próxima sessão deles vai ser a viagem até Giustenal. Já tenho algumas idéias, comprei o Dungeon Tiles: The Dungeon semana passada, então tenho algumas coisas com o que brincar enquanto escrevo a sessão. Assim que ocorrer, escrevo mais um resumo aqui.

E para quem não conhece ainda, esta é a página (link) onde estou colocando o resumo das sessões e um wiki da campanha.

E abaixo, três mapas que fiz para essa sessão:

5 Comentários leave one →
  1. 08/12/2010 3:25 pm

    Muito massa o reporte. Estou roubando idéias para minha sessão Domingo nesse exato momento!🙂

  2. 20/12/2010 1:52 pm

    Muito legal cara!
    Principalmente o necromante ae…

  3. Thiago permalink
    03/04/2011 12:58 am

    E ae, kimble, mais reportes?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: