Skip to content

Primeira Sessão do Marvel RPG – Primeiras observações

02/03/2012

Sábado tivemos nossa primeira do Marvel Heroic Roleplaying Game. Quatro jogadores, eu estava mestrando. A idéia da campanha é jogar no universo Ultimate, começando logo antes da criação do grupo Ultimates.

Para quem não lê quadrinhos, o universo Ultimate é uma linha de quadrinhos criada pela editora Marvel para recriar seus personagens clássicos numa abordagem mais atual. Ele existe em paralelo ao universo em quadrinhos tradicional da editora e inicialmente teve bastante sucesso, decaindo de popularidade com o tempo. Eu gosto da idéia dele, não gosto da forma como ele foi desenvolvido ao longo dos anos.

Os Ultimates são os Vingadores desse universo. No começo, as histórias do grupo tem um tom mais cinematográfico e são contadas em arcos fechados de histórias. Após alguns reboots essa estrutura inicial das histórias mudou, por isso é nesse início dos Ultimates que resolvi me concentrar.

Os personagens vão tomar o lugar dos heróis originais do grupo, vivendo aventuras inspiradas em sagas importantes da editora. Pedi que eles escolhessem personagens que existem no universo Marvel, seja no original ou no Ultimate. Só estamos considerando válido o que aconteceu até antes do início dos Ultimates, então muita coisa ainda está em aberto.

Os personagens escolhidos foram o Homem-de-Ferro, Deadpool, Coisa e Pantera Negra. Exceto pelo Deadpool todos já possuíam fichas prontas no livro-básico. O ‘Merc with a mouth’ foi o único que precisamos construir e mesmo assim foi fácil.

Como já havia combinado com os jogadores, o importante era respeitar o conceito do personagem, não necessariamente a versão oficial dele. O jogador escolheu não usar a versão oficial do Deadpool no universo Ultimate, preferindo algo mais próximo do universo tradicional.

Antes de iniciar a construção da ficha, o jogador do Deadpool já havia feito uma pesquisa sobre o personagem para listar elementos importantes. Não tentamos representar todas as características dele, só o essencial. Várias coisas menores, como a habilidade com várias línguas, foram adicionadas sem custo pois são elementos de caracterização.

Usamos o powerset dos poderes de regeneração do Wolverine como base e retiramos os SFX que não faziam sentido (como Berserk). Assim conseguimos simular a capacidade de recuperação do Deadpool. Nós então conversamos sobre um segundo powerset. O jogador queria representar a habilidade com armas do personagem. A idéia era alguém que sabe usar todo tipo de armamento e sempre está carregando muitas armas. Acabamos montando algo para simular esse arsenal e a habilidade com armas do personagem, usando o power trait Attack Power como base (ele listou algumas armas em d6 e d8, que eu lembre). Os nomes ficaram bem evocativos, vou pedir pro jogador me passar uma cópia da ficha e eu coloco aqui.

Como era a primeira sessão, fizemos algo que já está se tornando tradicional quando iniciamos uma nova campanha: usamos o modo Tutorial. No modo tutorial ajudo os jogadores a tomarem decisões, explicando os conceitos básicos e dando sugestões ao longo do jogo. Além disso, nem todas as regras e mecânicas são usadas no começo. Prefiro ir aumentando a complexidade aos poucos. E assim como num jogo de videogame, incluo alguma cenas para aprender as mecânicas devagar.

Escolhi usar o primeiro Ato do evento Breakout, que vem no livro básico. As aventuras no jogo são chamadas de Atos, enquanto um arco de aventuras é chamada de Evento. O evento que vem no livro básico trata do começo dos New Avengers no universo tradicional da editora. Eu peguei a idéia do ato e modifiquei para ficar mais próximo do universo Ultimate. Alterei as motivações dos personagens, quem havia escapado e o motivo do ataque para tornar mais de acordo com minhas expectativas.

Segue a descrição da primeira parte da primeira sessão, resumida para facilitar a leitura. Dividi em duas partes porque conseguimos fazer muita coisa em poucas horas e ficaria enorme um resumo feito de uma vez só.

Além disso, vou incluir algumas referências ao longo do texto no formato [1], [2], etc. A explicação dessas referências se encontram no final do texto, em parágrafos em itálico. Elas vão servir para falar sobre o funcionamento de algumas regras, idéias dos jogadores e coisas que costumo fazer nesses tipos de jogo. Decidi fazer isso porque muita gente ainda não tem experiência com jogos narrativistas, então essas explicações podem ajudar futuros mestres ou jogadores que venham a ler este post.

Na segunda parte vou incluir mais alguns comentários e uma análise de como foi o jogo e qual a reação dos jogadores.

Evento: People of Mass Destruction

Arco: Fuga em Massa

Triskelion, quartel-general da SHIELD. Dois helicópteros aterrissam numa das várias áreas de pouso na ilha. De um helicóptero militar desce um homem vestindo um uniforme negro que cobre seu rosto. O descendente da nobreza de Wakanda, Pantera Negra. O outro helicóptero é um modelo de transporte para cargas pesadas, usado para carregar veículos para o campo de batalha. Ele traz um dos membros do Quarteto Fantástico, o Coisa.

Os dois estão ali para atender um convite de Nick Fury. O general está preocupado com o aumento do ‘super-crime’, que é como os especialistas estão definindo atos criminosos e de terrorismo organizados por metahumanos. As organizações de segurança comuns não são capazes de lidar com esses problemas e ele teme que o próximo grande ataque a nação seja realizado por um metahumano.

Isso fez com que ele resolvesse organizar uma equipe de pessoas com habilidades especiais para proteger o país. É isso que ele explica para o Coisa durante a reunião rápida com o herói do Quarteto Fantástico. Ele explica como Ben Grimm finalmente vai fazer um trabalho de gente grande, algo importante para o país. O Coisa não gosta desse comentário e os dois discutem por alguns momentos, onde Nick reforça para o herói a importância do trabalho dos Ultimates. Ao final dela, o integrante do Quarteto Fantástico é levado por um funcionário para conhecer a ilha onde fica o Triskelion.

A segunda reunião é com o Pantera Negra. T´challa (verdadeiro nome do Pantera) é um operativo do Projeto Arma X, outro projeto americano que tentava usar de pessoas com habilidades especiais para realizar missões para o país. Entretanto, o Projeto quase foi desativado quando o antigo responsável pelo mesmo tomou uma série de decissões que colocaram a Arma X contra os X-Men.

Como T´challa explica para Nick, os problemas que surgiram da administração anterior do Projeto estão sendo corrigidos e ele deve voltar a funcionar em pouco tempo. [1]

Nick agradece a T´Challa por ter aceito o convite e explica outro motivo para querer falar com ele: um ex-membro do Projeto Arma X também vai fazer parte do grupo. Ele havia fugido do Projeto, mas por ser considerado uma experiência mal sucedida não foi perseguido.

Nova página, os quadrinhos mostram pessoas dentro de um avião comercial. Um homem vestido de turista (chapéu branco, camisa havaina, chinelos) olha para Nova Iorque aparecendo no horizonte. [2]

De volta a Triskelion, Nick pede que T´Challa fique de olho no ex-Arma X, pois ele é conhecido por seu comportamento errático. O operativo do Projeto garante que ele irá vigiar o companheiro de equipe e garantir que não seja um problema.

Nesse momento, o barulho de uma grande explosão é ouvido e uma coluna de fumaça sobe de uma construção próxima da torre onde Nick e T´Challa conversavam. Alertas de emergência indicam que o complexo carcerário para metahumanos na ilha foi atacado e que os prisioneiros estão soltos.

Nick diz para Pantera ir lidar com a fuga da prisão, enquanto ele tenta contatar os outros membros do grupo. O herói quebra o vidro da sala de reuniões e começa a descer a parede de fora do prédio rapidamente, usando das habilidades de sua armadura para se manter preso a superfície.

Dentro da torre, Ben Grimm pede que o funcionário que estava servindo de guia indique como chegar a prisão.

Em poucos minutos a fuga da prisão já está sendo noticiada. Tony Stark é informado por uma de suas assistentes da situação. O turista dentro do avião assistia um filme no monitor de sua poltrona, que é interrompido para mostrar a imagem da coluna de fumaça subindo do Triskelion.

Enquanto o milionário vai vestir sua armadura, o turista tenta convencer uma aeromoça que ele é um agente do governo disfarçado e que precisa de um pará-quedas. Ela fica olhando descrédula para o turista, sem acreditar. Quando ele insiste, ela diz que o avião não tem pará-quedas.

O turista/agente então se levanta, desliga o holograma e mostra seu uniforme vermelho e preto. Deadpool diz para os outros passageiros para não se preocuparem porque ele sabe o que está fazendo, abre uma das portas de saída e pula para fora do avião. No ar, ele controla sua trajetória para minimizar o impacto com a água [3].

Pantera Negra e Coisa chegam a prisão ao mesmo tempo. Um homem de cabelos brancos e corpo forte, apesar da idade avançada, sobe voando do meio da fumaça e paira por alguns segundos olhando em volta antes de voar para longe. [4]

Os dois heróis entram no subterrâneo do complexo. Eles estão ainda na entrada do lugar, mas já podem ver dezenas de andares de corredores de celas, com um vão central que permite ver todos os níveis da prisão. Os prisioneiros do local estão atacando os guardas e funcionários, que estão em desvantagem numérica.

Os dois encontram com um prisioneiro que havia acabado de quebrar o pescoço de dois guardas. Ele é um homem com fisionomia de alguém do leste europeu, trinta e poucos anos e cabelos escuros. O prisineiro diz para eles saírem da frente, mas os dois se recusam. Começa uma briga.

O Coisa e Pantera Negra tentam derrubar o vilão no combate corpo-a-corpo, mas ele se mostra mais resistente do que o esperado. Ele consegue evitar os golpes do integrante do Quarteto e as tentativas de imobilização do agente da Arma X.

Nisso, entra voando em cena o Homem-de-Ferro. Vendo a situação dos outros dois heróis, ele dispara um repulsor contra o prisioneiro. O vilão não é ferido. Sua pele brilha por um momento, ele parece ficar mais forte e ele consegue arremessar o Pantera longe.

Com a chegada de Deadpool (ainda pingando depois de seu mergulho), os quatro finalmente derrubam o prisioneiro e conseguem chegar até a área das celas. [5]

Esse é o momento que Pantera e Tony recebem uma mensagem de Fury, avisando que um advogado importante da cidade (Foggy Nelson) estava em algum lugar do complexo. Ele veio conversar com um prisioneiro e não havia saído até o início da rebelião.

Usando dos seus sentidos apurados, Pantera percebe uma pessoa que bate com a descrição do advogado sendo cercada por um grupo de prisioneiros vários andares abaixo deles. T´Challa salta no vazio e vai pulando de parede em parede até chegar ao homem em perigo.

O Coisa tenta ir ajudar pulando na direção em que o Pantera estava indo. Ele não é tão bem sucedido. Seu peso desvia a trajetória e ele pousa num corredor alguns andares abaixo. E então desce mais alguns, quando sua massa, multiplicada pela velocidade, perfure alguns pisos até chegar no pátio interno do complexo. Lá, o herói se vê cercado por um bando de prisioneiros.

Homem-de-Ferro decide também descer para ajudar o Pantera. No meio do trajeto, uma criatura vermelha com tentáculos e garras pula sobre ele, fazendo com os dois caiam num dos corredores laterais.

Deadpool escolhe descer correndo para ajudar o Pantera. Correndo com duas pistolas nas mãos e atirando nos prisioneiros alegremente.

Pantera se vê cercado pelos prisioneiros que pulam em cima dele ao mesmo tempo, tentando vencer pela vantagem numérica. O herói joga uma bomba de fumaça no chão e prende Foggy na parede externa do corredor, usando uma estaca da vibranium. Ele então retorna para lutar com o grupo de prisioneiros que estava atacando o advogado antes. Usando de armas de arremesso e técnicas de luta corpo-a-corpo aprendidas em sua terra natal, ele rapidamente derruba todos os criminosos. O agente então leva Foggy até uma sala de depósito e tranca o advogado lá, para que não seja ferido.

No pátio interno, o Coisa tenta convencer um bando de prisioneiros a desistirem da fuga. Quando a conversa não funciona, ele bate as palmas das mãos com força, derrubando o bando.

Já o Homem-de-Ferro estava tendo problemas com o simbionte. A criatura havia conseguido acertar alguns golpes na armadura e ela não parecia estar sentido os ataques do milionário. O traje já mostrava rachaduras e o milionário não estava muito melhor. Esse é o momento que Deadpool alcança os dois e chama a atenção do monstro com uma série de provocações. A criatura ataca o mercenário com uma série de tentáculos com espinhos. Deadpool desvia usando de canos, colunas e paredes no ambiente para evitar o ataque. O Homem-de-Ferro se aproveita da distração e usa seus jatos para se projetar contra o adversário.

O simbionte percebe o ataque e se projeta na direção do homem de armadura, projetando espinhos e garras para envolver seu alvo. O soco do Homem-de-Ferro é mais rápido, arremessando a criatura com força contra uma parede próxima. O corpo do simbionte se espalha por sobre a superfície metálica, antes de escorrer e cai desacordado no chão. [6]

Seguem mais alguns quadrinhos com os jogadores enfrentando prisioneiros menores e os agentes da SHIELD finalmente começam a retomar o local. Quando a situação acaba, Tony e Ben tomam uma cerveja enquanto Pantera retira Foggy do depósito.

Mais tarde…

Os quatro se encontram com Fury no centro de comando do complexo. Ele explica como apesar do sucesso dos personagens, dez prisioneiros conseguiram escapar. Magneto, Crossbones, Grey Gargoyle, Armadillo, Lizardman, Cobra, Abomination, Black Tarantula, Whiplash e Duende Verde. [7] A SHIELD já iniciou a busca pelos fugitivos.

Tony e Deadpool saem para beber. Stark usa isso para relaxar enquanto as duas vozes na cabeça de Deadpool discutem. [8]

Pantera Negra e Coisa resolvem andar pela cidade. Enquanto o membro do Quarteto Fantástico acaba se inscrevendo numa competição de luta livre para metahumanos, Pantera aproveita a noite para estudar a cidade e analisar o quão perigosos são os criminosos de rua. Conclusão: Não muito.

Como aconteceu muita coisa durante a sessão, escolhi encerrar a primeira ‘revistinha’ aqui. Cada Ato (aventura) deveria durar uma sessão, mas aconteceu muita coisa e o ritmo que as coisas aconteceram deu uma sensação de fechamento nesse ponto. Como todo mundo estava empolgado, só parei para dar algumas explicações de regras quanto a milestones (falo mais disso num próximo post) e começamos a segunda ‘revistinha’. Ela fica pro próximo resumo.

E agora as tais explicações para as referências que fiz ao longo do texto:

[1] Dando a palavra pro jogador, parte I:

Na verdade essa cena foi assim:
Kimble: Certo, o Nick quer saber sobre o que está acontecendo com o Projeto Arma X, depois dos problemas com os X-Men?
Jogador: O que está acontecendo com o Projeto Arma X?
Kimble: Eles tiveram problemas com os X-Men, que destruíram a sede dele. Depois disso não tem informação oficial sobre o projeto. O que está acontecendo com o Projeto Arma X? (passa a palavra pro jogador)

Algo que gosto de fazer quando existe um espaço em branco no cenário e deixar o jogador definir. No caso, o jogador decidiu que o Projeto não havia acabado e que ele estava sendo reestruturado para voltar a funcionar.

Com o tempo, os jogadores começam a dar idéias naturalmente ao longo da narrativa mesmo sem serem perguntados. E isso é ótimo. Muita coisa boa já surgiu dessas idéias e conceitos que os jogadores decidiram sozinhos. Sugestões ou pensamentos que eles falaram alto já tornaram algumas campanhas algo muito melhor do que elas seriam originalmente.

[2] Usando a linguagem de uma história em quadrinhos:
Mídias diferentes tem formas diferentes de apresentar informações. Algo que gosto de fazer pra passar a sensação de um certo tipo de formato durante a sessão, é usar termos e conceitos dela. Ao longo da sessão eu fui usando termos como ‘novo quadrinho, acontece…’ ou ‘nova página, então…’. Logo no começo perguntei para o jogador do Deadpool e do Ironman, o que vocês estão fazendo?

O primeiro disse que iria estar vindo num avião comum de passageiros para chegar em Nova Iorque. Ele começou a descrever alguns elementos básicos, como eles apareceriam numa história em quadrinhos.

O jogador do Ironman já deu uma descrição de como ele estaria trabalhando naquele dia, para se encontrar mais tarde com Fury. Eu quebrei as tarefas que ele me passou em quadrinhos: nesse aqui você aparece fazendo tal coisa, nessa aqui você aparece fazendo tal coisa, no próximo você… Isso fez com que mais tarde o próprio jogador do Stark dividisse um de seus momentos de lazer numa série de cenas usando esse modelo de quadrinhos separados.

Esse tipo de prática reforça a sensação que eles estão jogando uma história em quadrinhos, o que é um dos objetivos dessa campanha.

[3] Cinematográfico:
Depois de descrever a coluna de fumaça e como eles viram isso, perguntei como os personagens iam fazer para chegar lá. As primeiras respostas foram bem contidas. ‘Eu tenho que esperar o avião pousar.’ e ‘Vou correr pra lá.’ Então lembrei ao grupo que isso é uma historinha em quadrinhos e que fazer coisas impossíveis e cinematográficas é padrão. Isso fez o jogador do Pantera Negra declarar que ia quebrar a janela da sala de reuniões e descer pela parede de fora, enquanto o jogador do Deadpool resolveu pular do avião. As idéias foram interessantes e deram cor pra trama. A idéia do Deadpool foi tão legal e bem descrita que decidi que seu fator de cura conseguiu lidar com o estrago e que ele não passaria nenhum tempo se recuperando após a queda.

[4] Magneto. Ele é um personagem que eu gosto muito e que pretendo usar no futuro.

[5] Esse foi o primeiro combate que nós fizemos, bem resumido. Algo que achei incrível em todos os combates é que os jogadores sempre tentavam coisas diferentes. Sendo um sistema narrativista onde não existe muita preocupação mecânica com modificadors fixos durante o combate (bater numa parede gera X de dano, ser projetado por alguém de Força Y empurra Z metros, etc.), a preocupação acabava ficando em usar da descrição de suas ações para justificar o uso das características da ficha. E como o resultado dessas ações poderiam gerar as consequências que eles desejavam.

E o vilão é Count Nefaria, ele já vinha como primeiro vilão a ser enfrentado no evento original então escolhi manter.

[6] De novo, bem resumido. O simbionte era o Carnage, de novo um vilão que já vinha pronto e iria atacar os personagens durante a fuga da prisão. O combate contra a criatura foi bem mais longo e arriscado do que eu esperava. E bem divertido. O jogador do Ironman teve uma série de jogadas ruins que fizeram com que ele fosse ferido pelo simbionte. A descrição de como Deadpool escapava do ataque dos tentáculos foi invenção do próprio jogador. E não foi o único momento que eles me impressionaram.

Uma coisa que os jogadores comentaram no final da sessão era que foi muito fácil se colocar no lugar dos personagens e visualizar o que cada um estava fazendo, pois eram todos personagens conhecidos deles. Acredito que isso pode ter ajudado nas descrições e a fazer o jogo fluir mais naturalmente, com ótimas descrições das ações.

Acabam sendo tantas coisas legais que os jogadores fazem ao longo da luta, que fica difícil lembrar de tudo.

[7] Dando a palavra pro jogador, parte II:
Eu já tinha definido que o Magneto tinha escapado, mas não tinha definido os outros vilões. Nós conversamos rapidamente e decidimos quem seriam os fugitivos, num processo de colaboração e troca de sugestões. Assim os jogadores puderam escolher alguns dos vilões que eles gostariam de enfrentar.

[8] Recuperação:
O stress acumulado no combate é automaticamente diminuído quando inicia uma nova cena de transição, mas ele não é completamente apagado. Então uma das funções de cenas de transição é oferecer a chance dos jogadores diminuírem o stress acumulado pelos personagens.

Em jogos mais tradicionais, isso seria feito com jogadas de perícias de Medicina ou Primeiros Socorros, contra uma dificuldade fixa de acordo com a gravidade do ferimento. Sucesso recuperaria X pvs (um número fixo ou uma variável dependente de outra jogada de dados).

Em Marvel RPG, isso é feito descrevendo uma cena que de alguma forma lide com o stress. Bandagens e médicos são uma opção, mas o jogador do Homem-de-Ferro preferiu fazer algo mais de acordo com o personagem: beber para afastar os problemas. Ele justificou que Tony usaria a bebida para relaxar após as situações de perigo que correu hoje. Como isso faz sentido pro personagem e ia gerar uma cena divertida (ele e Deadpool bebendo juntos), aceitei numa boa ser uma justificativa para rolar a recuperação dele.

Vou escrever o resto da primeira sessão esse fim de semana, mas já adianto que foi ótimo. O pessoal adorou o jogo e a gente se divertiu muito. Teve jogador me dizendo que por ele, a gente jogava isso toda semana. Coisas que eu pude notar é que o jogo pode ser feito sem muito preparo (praticamente toda a segunda parte da sessão foi improvisada, eu só tinha as fichas dos vilões), mas ele fica melhor se tanto o mestre quanto os jogadores conseguem manter um raciocínio rápido e criativo.

Esse final de semana eu não vou mestrar, mas o próximo é Marvel de novo. Vou equilibrar essa campanha com a de L5R, jogando pelo menos uma sessão de cada um por mês. No próximo post também vou dar algumas dicas de materiais que facilitam o jogo (post-its e mais algumas coisas).
Bons jogos até lá!

9 Comentários leave one →
  1. 13/03/2012 7:17 pm

    Mesmo não sendo grande fã de HQs, gostei de como o reporte se desenrolou, especialmente as referências no final.

  2. 28/03/2012 3:57 pm

    Cara, foi muito bom esse reporte e melhor ainda sua ideia. Eu quero usar o desenho dos Vingadores, adaptando a aventura pronta para aquele plot da fuga das quatro prisões.

  3. 28/03/2012 10:45 pm

    foda hein…comprei o jogo hj e ja to na ura pra jogar

  4. 02/04/2012 1:09 pm

    Muito bom! Por essa sua descrição comprei o PDF na driveTrhuRPG e encomendei o livro na Book Depository, ainda na pré-venda (quando será que estará disponível o livro físico nos sites como a Amazon por exemplo? Está demorando!) No mais, depois coloco minhas impressões do jogo e quem sabe faço um reporte para colocar no site (posso?). Abraços e continue o bom trabalho!

    • cesar/kimble permalink*
      02/04/2012 1:12 pm

      Claro, disponibilizo espaço sem problema🙂

      Um abraço,
      Kimble

  5. 02/04/2012 6:42 pm

    Legal! E quanto ao livro? Está demorando para lançarem!

    • cesar/kimble permalink*
      02/04/2012 7:18 pm

      Na verdade foi lançado, tanto que quem comprou com a editora (opção que ainda não existe no Brasil) a demora agora é chegar nos estoques das livrarias, pra então elas processarem e começarem a distribuir.

Trackbacks

  1. Resumo do Primeiro Arco de Marvel Heroic Roleplaying Games « Ponei Riders Blog

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: