Skip to content

Brinquedinhos que tenho usado em minhas campanhas

13/03/2012
ferramenta 3

Estava pensando aqui (num raro final de tarde com tempo), que eu tenho usado vários apetrechos diferentes nas minhas últimas campanhas para facilitar o processo de criação das sessões ou tornar mais fácil e interessante o processo de jogar.

Resolvi organizar algumas idéias e explicar como tenho usado delas. Vou me concentrar nas que utilizo para as campanhas de Legend of the Five Rings e Marvel RPG, que são o que pretendo mestrar com mais frequência.

Post-it

Ou folha de recado auto-adesiva, mas a maioria das pessoas chama pela marca. Eles são muito úteis em jogos onde existe um fluxo rápido de novas informações, principalmente quando esses elementos estão sendo improvisados. O que tem feito eles serem algo que sempre carrego quando vou mestrar em jogos mais narrativistas.

Em Fiasco, costumo usar eles para marcar os relacionamentos entre os personagens e objetos, locais e motivações da cena. Por poderem ser colados e retirados da mesa várias vezes, um jogador pode pegar o adessivo que ficou longe, ler e devolver para o lugar com facilidade. E ele não vai sair voando porque alguém balançou a mesa, uma rajada de vento levantou os papéis ou alguém passou o braço por cima (e se sair, provavelmente vai ficar colada no braço).

No Cortex Plus, eu já usei tanto com Leverage quanto Marvel RPG. Eu uso dele para registrar a criação de complications, assets e etc. Estou pensando em usar até para registrar o stress dos vilões e dos heróis, pois seria mais fácil de controlar (e visualizar) que só uma anotação na ficha.

Um bloco grande rende adesivos suficientes para várias sessões. Eu prefiro usar dos maiores, que permitem escrever mais informação. Tem também post-it em tamanho pequeno, que são vendidos em pacotinhos de 4 bloquinhos. A vantagem dos menores é que podem ser distribuídos entre os jogadores desde o começo da sessão, em vez de ter que repassar o bloco maior sempre que alguém quer anotar alguma coisa. O problema é o tamanho da letra dos membros do grupo, que pode ser grande para o tamanho dos bloquinhos menores.

Cartas

Isso é algo que tenho usado em L5R, mas que pretendo usar em futuros jogos que tenham um cardgame na mesma franquia. Muitos mestres já usam imagens para representar NPCs importantes em suas campanhas. Quando eu comecei a preparar nossas sessões de L5R, me lembrei que dois dos grandes problemas de novos jogadores (além de aprender o sistema) são:
a) Se acostumar com termos e os nomes do cenário;
b) Conseguir se lembrar de todos os NPCs, já que L5R tende a ser um jogo com muita política e muitos personagens recorrentes.

Me lembrei de um mestre de alguns anos atrás, que narrou uma campanha de Vampiro: A Máscara para mim e mais alguns outros amigos. Para representar os NPCs, ele comprou um deck do cardgame de Vampiro e usava das imagens das cartas para representar os personagens. Uma consequência não prevista disso é que começamos a usar as cartas não somente para visualizar o personagem, mas como forma de organização dos NPCs: como ele manteve o nome dos personagens igual ao nome das cartas, nós puxávamos o baralho sempre que precisávamos lembrar de quem era ‘Damian’ ou qual o nome daquele Nosferatu com um gato como carniçal.

Resolvi fazer o mesmo com L5R. Fui numa lojinha daqui, comprei dois decks de L5R e montei os NPCs da campanha usando a imagem e os nomes das cartas como base. Eu inicialmente pensei em fazer a campanha em terras do clã da Garça, mas como eles tinham só decks do clã Leão (o clã que eu menos devo gostar), Caranguejo (que não era suficientemente político) e da Fênix, escolhi o último. Usei alguns dos termos que vinham nas cartas no histórico dos personagens, outros ignorei.

Funcionou bem em jogo. Eu deixo as cartas em cima da mesa, os jogadores sempre podem buscar e olhar pra figura e o nome quando quiserem. Com o tempo eles mesmos encontraram outras formas de usar as cartas, como organizar grupos de NPCs que eles acreditam que estão trabalhando juntos ou usando delas quando precisam explicar pros outros jogadores suas idéias e planos.

Em algum ponto eu vou mestrar The One Ring pra eles (o único motivo que não fiz isso ainda é porque achei o módulo inicial ainda muito básico, vou esperar sair mais um para tentar) e vou fazer a mesma coisa: compro os decks do jogo de cartas e uso as figuras para ilustrar os NPCs. E considerando a qualidade da carta desses decks, acho que vai ser algo muito bom pro jogo.

Laptops como apoio visual

Isso é algo que eu ainda estou experimentando aos poucos. Na casa de um dos jogadores nós usamos de vez em quando uma conexão da televisão com o PC para mostrar imagens, mapas ou vídeos. Na sessão de Marvel RPG, eu usei isso para mostrar alguns quadrinhos da série Ultimates e personagens do universo.

Outro mestre já usou isso durante a sessão para mostrar mapas dos lugares onde estávamos e imagens do jogo. Foi interessante, como ele estava improvisando não tinha muitas imagens para mostrar mas percebi que era algo que poderia render bastante se bem usado.

Quando jogarmos na casa dessa pessoa de novo, acho que vou tentar encontrar alguns vídeos no Youtube de trailers de jogos e filmes da Marvel para ajudar a motivar os jogadores. Já experimentei coisa similar antes com outros grupos (assistindo filmes que inspiraram o jogo antes da criação de personagens) e o resultado foi bom.

Eu imagino que em jogos onde o apelo visual é grande (quadrinhos, SdA, etc.) esse tipo de apoio pode ser bem interessante para colocar os jogadores no clima certo. Vamos ver como vão ser as próximas experiências.

Escudo de controle de iniciativa

Estou usando o termo ‘escudo’ no sentido ‘escudo do mestre’, mas não é bem isso. A idéia veio enquanto eu lia o Marvel RPG. Para quem não jogou ainda, a iniciativa é decidida entre o grupo em vez de rolada nos dados. Os jogadores decidem quem vai agir quando.

Para evitar confusões sobre quem já agiu e quem não agiu, pensei em controlar isso usando uma folha onde os jogadores colocariam algum tipo de objeto de controle (ficha, conta de vidro, papel com o nome, etc.). Quando eles agem, retiram o objeto de cima da folha. Quando a folha não tiver mais nenhum objeto em cima, uma nova rodada inicia e todos os objetos voltam pra cima da folha.

Esse é o básico e algo que pode ser feito sem custo. Agora o que nós fizemos.

Como vários dos jogadores gostam de Heroclix (aliás, não tinha percebido que o pessoal estava jogando isso), nós usamos miniaturas dos heróis em vez de contas ou marcadores de papel. E em vez de uma folha, usei o escudo dos mestre de M&M. Eu deixava ele fechado e deitado sobre a mesa. Eles colocavam as miniaturas em cima do escudo, eu colocava algumas pros vilões, seguíamos o processo de retirada que eu descrevi antes.

Funcionou muito bem. As perguntas ‘quem já foi?’ foram mínimas. Os jogadores logo aprenderam quem cada miniatura representava e conseguiam decidir pra quem iriam passar a vez sem perder muito tempo. E logo eles tiveram outra idéia: começaram a organizar as miniaturas em cima do escudo de acordo com os combates que estavam ocorrendo. Na hora do combate dentro da prisão, o jogador do Pantera deixou sua mini junto da que usei pra representar os prisioneiros, o Homem-de-Ferro fez o mesmo para o Carnage e o Coisa o mesmo para o outro grupo de prisioneiros.

O que eu pretendo fazer agora é imprimir uma imagem em A4 com os personagens da editora (já escolhi qual) numa página inteira. Eu poderia continuar usando o escudo do M&M, só acho que usar uma imagem da Marvel vai ser mais interessante. Quase levei uma revistinha para usar como ‘escudo’, mas não encontrei nenhuma que eu achei legal suficiente pra isso entre as que não eram encadernados (e eu não ia carregar um encadernado pro jogo).

E sim, isso também serve como desculpa pra colecionar e brincar com algumas minis.

Essas são as ferramentas que eu tenho usado nos últimos jogos e tem dado resultados. Vamos ver se com o tempo, começamos a usar algumas coisas diferentes. Eu cheguei a pensar em usar algo diferente de contas de vidro para os plot points, mas até agora não conseguir em algo realmente legal.

2 Comentários leave one →
  1. 13/03/2012 7:00 pm

    A idéia dos papéis auto-adesivos é legal, e parece casar bem com Fiasco (tanto pelo jogo em si, quanto pelo seu relato).

    Uma sugestão pra usar como marcadores seriam fichas de pôquer. Notável é como Violentina é um jogo perfeito pra jogar com uma maleta de pôquer: além dos baralhos e das fichas, aqueles botões de “Dealer” e etc. podem ter funções menores porém interessantes na partida.

    • 13/03/2012 8:16 pm

      Algo que eu vi algumas pessoas usando são fichas com símbolos da SHIELD ou dos Vingadores. A idéia me pareceu legal, só não tentei ainda porque estou pensando se não há uma forma de diminuir o trabalho envolvido em criar essas fichas.
      Estou imaginando que teria que imprimir, recortar e colocar em fichas (provavelmente pôquer, como você sugeriu).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: